CGD: Costa "confortável" com encerramento de balcões da CGD

O primeiro-ministro diz que o Governo não interfere nas decisões de gestão da Caixa Geral de Depósitos.

20 de março de 2017 às 17:34CGD: Costa "confortável" com encerramento de balcões da CGD

O primeiro-ministro diz que o Governo não interfere nas decisões de gestão da Caixa Geral de Depósitos (CGD).

António Costa garante que está confortável com a decisão de encerramento de balcões da CGD, caso contrário o governo não teria, diz, tomado a decisão de reestruturação.

O primeiro-ministro defendeu esta tarde que o plano de reestruturação da CGD prevê a presença do banco público em todo o país e salientou que o Governo não se substituirá à administração, colocando em causa a liberdade de gestão.

A questão do encerramento de balcões da CGD tem levantado bastante polémica. Os vários partidos, inclusive o PS através do lider parlamentar Carlos César, têm criticado a decisão.

O plano de reestruturação da instituição liderada por Paulo Macedo prevê o encerramento de 70 balcões até ao final do ano.

E até ao final de 2020 o número de encerramentos chegará aos 180.

António Costa falava aos jornalistas após ter estado reunido cerca de duas horas com representantes das ordens profissionais.

  • Partilhar

Relacionadas

10 de março de 2017
PM garante que Comissão Europeia vai aprovar a recapitalização da CGD
10 de março de 2017
Trabalhadores serenos com prejuízos na Caixa
10 de março de 2017
Oficial: CGD regista prejuízos de 1859 milhões em 2016

Caso tenha algum comentário a fazer:

Mais Notícias

Greve afeta ligações fluviais entre Lisboa e margem sul
Rottweiler ataca criança de quatro anos
Jorge Simão já não é treinador do SC Braga
Cruyff dá nome a estádio do Ajax
Ataque em São Petersburgo (finalmente) reivindicado
Marcelo pede mais riqueza
AR evoca Mário Soares e os 43 anos de democracia
Elton John cancela concertos devido a infeção rara
25 de Abril em São Bento
Back to Top