CGD: Costa "confortável" com encerramento de balcões da CGD

O primeiro-ministro diz que o Governo não interfere nas decisões de gestão da Caixa Geral de Depósitos.

20 de março de 2017 às 17:34CGD: Costa "confortável" com encerramento de balcões da CGD

O primeiro-ministro diz que o Governo não interfere nas decisões de gestão da Caixa Geral de Depósitos (CGD).

António Costa garante que está confortável com a decisão de encerramento de balcões da CGD, caso contrário o governo não teria, diz, tomado a decisão de reestruturação.

O primeiro-ministro defendeu esta tarde que o plano de reestruturação da CGD prevê a presença do banco público em todo o país e salientou que o Governo não se substituirá à administração, colocando em causa a liberdade de gestão.

A questão do encerramento de balcões da CGD tem levantado bastante polémica. Os vários partidos, inclusive o PS através do lider parlamentar Carlos César, têm criticado a decisão.

O plano de reestruturação da instituição liderada por Paulo Macedo prevê o encerramento de 70 balcões até ao final do ano.

E até ao final de 2020 o número de encerramentos chegará aos 180.

António Costa falava aos jornalistas após ter estado reunido cerca de duas horas com representantes das ordens profissionais.

  • Partilhar

Relacionadas

10 de março de 2017
Oficial: CGD regista prejuízos de 1859 milhões em 2016
10 de março de 2017
PM garante que Comissão Europeia vai aprovar a recapitalização da CGD
10 de março de 2017
Trabalhadores serenos com prejuízos na Caixa

Caso tenha algum comentário a fazer:

Mais Notícias

Henrique Neto abandona PS
"O Banco de Portugal é que criou os lesados do BES"
Mais de metade dos portugueses já tem boletim de vacinas digital
Linkin Park cancelam digressão americana
Calmo e sereno: Zambujo encarna Chico Buarque em noite de verão
Pelo menos 8 meses de recuperação para Pinto da Costa
Greve na Autoeuropa em agosto
Linha Saúde 24 vai dar para marcar consultas com médico de família
Há mais de 40 espécies de tubarão em Portugal
PUB
Back to Top