Jardins do Palácio de Belém recebem clone do freixo de Duarte d'Armas

Será plantado esta terça-feira. É proveniente da árvore que empresta o nome a Freixo de Espada à Cinta.

Francisco Pinto
20 de março de 2017 às 15:09Jardins do Palácio de Belém recebem clone do freixo de Duarte d'Armas
O primeiro clone do freixo de Duarte d'Armas será plantado nos jardins do Palácio de Belém em Lisboa, amanhã, terça-feira, proveniente da árvore que empresta o nome à vila transmontana de Freixo de Espada à Cinta.
 
 
 
Maria do Céu Quintas, presidente da câmara de Freixo de Espada à Cinta, diz que durante a tarde uma comitiva representativa da autarquia e da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) vai entregar ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, o primeiro clone do centenário freixo de Duarte D'Armas.
 
 

 

Em Agosto do ano passado soube-se que investigadores tinham conseguido cinco clones da árvore de mais de 500 anos que deu o nome a Freixo de Espada à Cinta. Logo nessa altura foi revelado que o exemplar "número um" seria entregue à Presidência da República, mas não se avançava uma data.
 
O freixo tem o seu nome associado a Duarte d'Armas, que foi quem representou cartograficamente, a mando do rei Manuel I, a cartografia de 56 castelos fronteiriços de Portugal, entre 1509 e 1510.
 
Não é todos os dias que uma árvore descendente das terras de Freixo de Espada à Cinta é plantada nos Jardins do Palácio de Belém, refere a autarca.
 
 

 

Para este trabalho de clonagem, foram feitas mais de 900 tentativas nos últimos dois anos para assegurar os primeiros cinco clones do Freixo d'Duarte de Armas, uma vez que clonagem foi feita através de raízes novas, que nasceram após o início do processo de recuperação do freixo.
 
Não foi um processo simples devido à própria idade da árvore. Os investigadores estimam que o Freixo de Duarte d'Armas tenha entre 540 a 550 anos.
 
O trabalho de clonagem foi lançado em parceria da UTAD e do Instituto de Conservação da Natureza e Florestas.
 
A Universidade do Algarve também participa no projecto e tem por missão desenvolver a pesquisa histórica sobre a árvore, em bibliotecas nacionais como a Torre do Tombo, relativa às lendas associadas ao freixo.
 
O conjunto de conteúdos será divulgado num página da Internet e num painel interativo a colocar junto ao centenário freixo.
 
Reportagem: Francisco Pinto
  • Partilhar

Caso tenha algum comentário a fazer:

Mais Notícias

Greve afeta ligações fluviais entre Lisboa e margem sul
Rottweiler ataca criança de quatro anos
Jorge Simão já não é treinador do SC Braga
Cruyff dá nome a estádio do Ajax
Ataque em São Petersburgo (finalmente) reivindicado
Marcelo pede mais riqueza
AR evoca Mário Soares e os 43 anos de democracia
Elton John cancela concertos devido a infeção rara
25 de Abril em São Bento
Back to Top