Empresas podem proibir véu islâmico

Tribunal de Justiça da União Europeia aceita veto de símbolos religiosos nas empresas.

14 de março de 2017 às 11:04Empresas podem proibir véu islâmico

O Tribunal de Justiça da União Europeia considerou esta terça-feira que as empresas podem proibir funcionários de usar símbolos religiosos, nomeadamente o véu islâmico.

O organismo avaliou conjuntamente os casos de duas mulheres, em França e na Bélgica, que foram despedidas por recusarem retirar o lenço islâmico durante o período laboral.  Concluiu que a proibição é admissível desde que fundamentada em regras internas da empresa, ou seja, "uma regra interna que proíba o uso visível de quaisquer símbolos políticos, filosóficos ou religiosos não constituiu discriminação direta".

Em comunicado acrescenta no entanto que a exigência de um cliente, ao recusar ser atendido por alguém com véu islâmico,  não justifica por si só a proibição.

Quanto aos casos em apreço, a justiça europeia considerou que a vontade de uma empresa de projetar uma imagem neutra é legítima, permitindo que as regras internas proíbam símbolos políticos, filosóficos ou religiosos. 

  • Partilhar

Caso tenha algum comentário a fazer:

Mais Notícias

Polícia identifica Salman Abedi como autor do ataque de Manchester
Feira do Livro de Lisboa regressa com novidades
Filhos contestam casamento recente do pai centenário
Final da Taça de Inglaterra com segurança reforçada
Mais de 3 mil profissionais reforçam SNS
Demi Lovato dedica álbum aos haters
Mais de 40 mil pessoas afetadas pela falha no abastecimento de combustível no aeroporto de Lisboa
Governo não autoriza qualquer despedimento na Meo e na PT
Calendário escolar harmoniza pré-escolar com 1.º ciclo
PUB
Back to Top