"Soares é fixe". O cortejo do adeus a Mário Soares

O cortejo fúnebre do antigo presidente da Republica Mário Soares arrancou pelas 11h05 da sua residência no Campo Grande, em Lisboa.

LUSA
09 de janeiro de 2017 às 13:55"Soares é fixe". O cortejo do adeus a Mário Soares
O cortejo fúnebre do antigo presidente da Republica Mário Soares arrancou pelas 11h05 da sua residência no Campo Grande, em Lisboa, após ter sido recebido com aplausos por centenas de populares.

Entre os populares ouvia-se: "Soares é fixe".

O carro funerário com o corpo do antigo Presidente da Republica Mário Soares chegou hoje, cerca das 11h00, à sua residência em Lisboa onde permaneceu cerca de cinco minutos, tendo arrancado depois para o cortejo que percorrerá as principais ruas do centro de Lisboa.

A família de Soares recebeu o corpo junto à residência familiar e depois entrou nos carros, acompanhando o percurso do cortejo fúnebre.

O arranque do percurso do cortejo fúnebre foi feito ao som de aplausos dos populares que aguardavam a chegada da urna de Mário Soares, coberta com a bandeira portuguesa.

A 200 metros da residência da família Soares, em Lisboa, o Colégio Moderno foi também local de paragem do cortejo fúnebre, onde esteve cerca de cinco minutos para que os populares e alunos do Colégio pudessem saudar o corpo do antigo presidente da República.

Junto ao Colégio Moderno, os populares e alunos bateram palmas.

Às 11h10, o carro fúnebre arrancou em direcção à Câmara de Lisboa.

Ao longo do percurso do cortejo fúnebre são visíveis também várias pessoas nas varandas dos prédios a baterem palmas à passagem da urna do antigo Presidente da República.

Numa das varandas, em frente ao Colégio Moderno, uma jovem chorava enquanto batia palmas e empunhava um cartaz branco, em que se podia ler: "Obrigado, Mário Soares".

Na Praça do Município

A urna do antigo chefe de Estado português Mário Soares, que chegou à Praça do Município, em Lisboa, às 11h34 horas, foi de seguida transferida para o armão militar que a transportou em cortejo até ao Mosteiro dos Jerónimos.

Os restos mortais de Mário Soares foram recebidos pelo presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, por vereadores do executivo e outros autarcas e ainda pela família, representada pelos filhos João e Isabel Soares e pelos netos Jonas e Lilah Soares.

Três minutos após a chegada, a urna coberta pela bandeira de Portugal foi retirada do carro funerário para o armão (espécie de charrete) por seis militares da Guarda Nacional Republicana (GNR), seguindo-se a entrega das condecorações pelos netos.

Após cumprimentar os familiares, Fernando Medina prestou a sua homenagem colocando um cravo vermelho em cima da urna.

O carro funerário chegou acompanhado por uma Escolta de Honra da GNR, constituída por 30 motos, às quais se juntou uma comitiva de 84 cavalos desta força de segurança.

A assistir, estavam também cerca de 200 pessoas, que se mantiveram em silêncio durante a ocasião.

As palmas ouviram-se na chegada do corpo e durante a trasladação, tornando-se mais intensas com o início da marcha.

Quando a família passou, os populares voltaram a aplaudir, em sinal de solidariedade.

Na fachada dos Paços do Concelho, destacam-se dois cartazes de grande dimensão (iguais aos 500 que estão colocados por toda a cidade) com a inscrição "Obrigado Mário Soares" acompanhada por uma fotografia de corpo inteiro e a preto e branco do histórico socialista, a caminhar na praia.

Chegada ao Mosteiro dos Jerónimos


(Video da chegada ao Mosteiro dos Jerónimos pelo repórter Guilherme de Sousa)

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e o presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, receberam o cortejo fúnebre do antigo chefe de Estado Mário Soares no Mosteiro dos Jerónimos, perto das 13h10.

Antes da abertura da câmara ardente ao público, as duas mais altas figuras do Estado acompanharam a chegada da urna ao Mosteiro dos Jerónimos, num momento reservado à família, a quem apresentaram os seus pêsames.

No local esteve também a ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, Maria Manuel Leitão Marques, a representar o Governo, em substituição do primeiro-ministro, António Costa, que se encontra na Índia em visita de Estado.

Mário Soares morreu no Hospital da Cruz Vermelha, em Lisboa, onde estava internado há 26 dias, desde 13 de Dezembro.

O corpo do antigo Presidente da República vai estar em câmara ardente no Mosteiro dos Jerónimos a partir das 13h00 de segunda-feira, e o funeral realiza-se a partir das 15h30 de terça-feira, no Cemitério dos Prazeres, em Lisboa.
  • Partilhar

Caso tenha algum comentário a fazer:

Mais Notícias

Macron ou Le Pen: um vai ser o presidente francês
Portimonense sobe à I Liga
Sarampo já afecta 18 países europeus
Gabriel Macchi conquista medalha de prata na Maratona de Londres
Franceses em Portugal esperam uma hora para votar
Final da Taça: bilhetes à venda a 9 de Maio
Jessica Augusto vence maratona de Hamburgo
Morreu Erin Moran
Derby: três detidos e um ferido ligeiro
Back to Top