David Bowie: dez momentos de glória

Camaleão faria hoje 70 anos, se fosse vivo. Terça-feira, passa um ano sobre a sua morte.

08 de janeiro de 2017 às 09:00David Bowie: dez momentos de glória
David Bowie faria hoje 70 anos se fosse vivo. A efeméride é assinalada hoje no Pequeno Auditório do Centro Cultural de Belém, em Lisboa, com outro David – David Fonseca – a fazer várias versões ao vivo do Camaleão (uma especialidade sua), e com uma conversa moderada pelo jornalista Nuno Galopim com o crítico João Lopes, o ex-editor discográfico David Ferreira e Xana (dos Rádio Macau).

Dos seus 70 anos, seleccionamos dez pontos altos da sua pródiga carreira. Ei-los:

1969 - Space Oddity
É o single que revela David Bowie em 1969, muito à conta da sorte de ser lançado dias antes da aterragem lunar de Neil Armstrong. O tema inspirado no filme de Stanley Kubrick, “2001 – Odisseia no Espaço” rodou incessantemente na rádio britânica na ressaca do feito do primeiro homem na lua.


1971 - Life on Mars
Uma das grandes baladas de David Bowie, publicada no quarto álbum do cantor, “Hunky Dory”. Para o site da Pitchfork, é a melhor canção dos anos 70.


1972 – Suffragette City
O incontornável álbum “The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars” inspirou o movimento do glam-rock, bem como a androgenia de Bowie. 'Suffragette City' é um dos temas fortes do período da sua personagem mais famosa, Ziggy Stardust.


1974 – Rebel Rebel
Esta canção bem aguerrida pertence a uma das suas obras mais fortes, “Diamond Dogs”, inspirado no livro de George Orwell, “1984”. O disco merece uma das digressões mais exigentes a nível de encenação mas leva o músico à bancarrota.


1977 – Heroes
Este é o momento dourado da trilogia berlinense do músico - “Low”, “Heroes” e “Lodger” – publicada entre 1977 e 1979. Além de Berlim Ocidental e do krautrock, o produtor e teclista Brian Eno foi também fundamental naquela que é uma das fases mais criativas do cantor londrino.


1980 – Ashes to Ashes
David Bowie está no cume do seu charme enigmático, desenterrando o velho personagem Major Tom e os fantasmas de toxicodependência, no que parece uma canção autobiográfica do próprio cantor. O teledisco surrealista, onde se mascara de palhaço Pierrot, está na história dos videoclipes.  


1983 – Modern Love
David Bowie torna-se familiar na MTV graças a vários vídeos promocionais do álbum “Let’s Dance”, incluindo desta canção, uma das suas melhores dos anos 80.


1984 – Blue Jean
O Camaleão está a viver o seu período de estrela pop e parece estar a gostar. ‘Blue Jean’ cimenta a popularidade, bem perfumada pelo seu querido saxofone.


1995 - Hallo Spaceboy
David Bowie regenera-se com o álbum conceitual “Outside”, onde encarna o detective Nathan Adler no mundo da arte. 'Hallo Spaceboy' brilha neste disco com um vigor industrial que mereceu a colaboração ao vivo dos Nine Inch Nails.


2016 – Lazarus
Depois de ter encarnado tantas personagens, a figura moribunda das canções do derradeiro álbum “Blackstar” era afinal David Bowie que se estava a despedir de nós... Com a sua classe e alguma ousadia jazz apropriada pelo seu estilo.


 
  • Partilhar

Relacionadas

06 de janeiro de 2017
Luta contra cancro de Bowie acaba três meses antes da morte
29 de dezembro de 2016
David Bowie, o eleito da imprensa de 2016
27 de dezembro de 2016
2016: obituário de músicos
27 de dezembro de 2016
Como Bowie e Prince admiraram George Michael

Caso tenha algum comentário a fazer:

Mais Notícias

Ataque em Cambrils relacionado com atentado em Barcelona
Incêndios: Mação e Gavião os mais preocupantes esta manhã
Morreu João Lobo, um dos nossos
Solange e John Legend manifestam-se contra ataques racistas
Ataque em Barcelona: revelada a identidade do principal suspeito
Governo recomenda uso da aplicação Registo Viajante
Pára tudo: chegou La Liga
O que se sabe do ataque em Barcelona
Barcelona: não há portugueses entre as vítimas
PUB
Back to Top