Bono: «Bowie era a razão para se ter TV a cores»

Reedição de uma série discos em vinil do Camaleão.

29 de janeiro de 2016 às 11:15Bono: «Bowie era a razão para se ter TV a cores»
Continuam as declarações e memórias sobre David Bowie por parte das grandes estrelas rock. Bono, dos U2, também falou à Rolling Stone sobre o malogrado cantor inglês. «Ele era tão intenso. Tão luminoso. Tão fluorescente. Fomos os primeiros da rua a ter uma TV a cores. O David Bowie era a razão principal para se ter TV a cores».

Bono recorda as críticas construtivas que o cantor dos U2 e The Edge receberam de Bowie durante os primeiros dias do acidentado musical da Broadway "Spider-Man: Turn Off the Dark", estreado em 2011. «Enviou-me as razões porque não tinha gostado. Tudo o que nos disse foi bastante útil, porque o espectáculo estava nos seus primeiros dias».

O músico irlandês lembra-se também de outros encontros mais longínquos com Bowie. «Gostava de o considerar um amigo mas eu era mais um fã. Ele apareceu e foi visitar-nos quando estávamos a misturar o "Achtung Baby" [álbum dos U2 de 1991]. E, claro, foi ele que nos deu a conhecer Berlim e os Estúdios Hansa» [históricos estúdios onde Bowie gravou alguns dos álbuns mais importantes do final dos anos 70 e onde os Depeche Mode gravaram vários discos na década de 80].     

Os Red Hot Chili Peppers também têm algumas histórias para contar sobre David Bowie, embora não fossem as mais desejáveis para a banda rock norte-americana. É que os Chili Peppers propuseram por mais que uma vez que Bowie produzisse um disco deles mas a resposta foi sempre negativa.

O vocalista dos Red Hot Chili Peppers, Anthony Kiedis, declara ao Consequence of Sound que «em todos os discos que fazíamos, havia aquela discussão entre nós: ‘quem é que arranjamos para produzir o disco?’ ‘Não sei, vamos tentar alguém novo’. Vamos tentar o David Bowie!’ ‘OK, vamos ligar-lhe’. Começávamos por lhe ligar e ele respondia-nos delicadamente que não. Depois escreviamos-lhe longos e-mails a explicar-lhe tudo e por que razão era a altura certa para o termos connosco mas ele declinava respeitosamente. Por dois minutos, ficava com o coração destroçado mas mal ouvia o Chad Smith na bateria, pensava ‘bolas, somos bons, conseguimos fazer outras coisas’. A recusa de Bowie deu-se nos álbuns "By the Way" (de 2002) e no duplo "Stadium Arcadium" (de 2006). Nada que se compare com as oito negas que Brian Eno (um dos grandes colaboradores de David Bowie) deu aos Chili Peppers.

Entretanto, vão ser reeditados em vinil, a 26 de Fevereiro, os álbuns de David Bowie lançados entre 1969 e 1973 "Space Oddity", "The Man Who Sold the World", "Hunky Dory", "The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars", "Aladdin Sane" e "Pin Ups", além da compilação "Bowie At The Beeb (The Best Of The BBC Radio Recordings 1968 - 1972)".

GP
  • Partilhar

Caso tenha algum comentário a fazer:

PUB
Back to Top